quinta-feira, 12 de junho de 2014

Vambora de hj

Vambora Especial: Fuja da Copa! 3 lugares alucinantes para você sair do Brasil em junho ... dicas todo final de semana .



A Copa do Mundo 2014 está se aproximando com bastante velocidade e logo teremos turistas de todos os cantos da Terra em terras brasileiras. Certamente, com tudo isso, o país ficará bastante agitado – podemos esperar por aeroportos bem cheios e trânsito congestionado ao redor dos estádios.
Contudo, se você não é um fã de futebol e tudo o quer é fugir dessa agitação , eu indico alguns locais que podem ser interessantes de ser visitados no mês de junho. É claro que existem muitos outros, então se sintam à vontade para sugerir nos comentários. Vamos fazer as malas e deixar os ingressos de lado?


  Dublin-Irlanda
Dublin, capital da Irlanda, fica na costa oriental do país, na foz do Rio Liffey, que divide a cidade em duas partes. Mais pacata e hospitaleira (e. de certa forma, não menos agitada) do que Londres, suas ruas tranquilas e sua fácil locomoção a pé (quase tudo é plano) permitem conhecê-la caminhando por entre prédios de arquitetura georgiana do século 18. Se o interesse é histórico, há o Trinity College, que abriga um manuscrito ilustrado do século 8, e a catedral de Saint Patrick, entre outras atrações. Dublin, porém, é a sede europeia do Google, dos (mais de mil) pubs e das baladas sem hora para acabar na região do Temple Bar. Este antigo bairro enfrentou um período de decadência, mas foi totalmente restaurado na década de 1980. Hoje, abriga, além dos pubs mais descolados, lojas bacanas, galerias de arte, brechós retrôs, restaurantes estrelados e mercados com dias marcados em ruas exclusivas de pedestres. 

Dizem que dos 365 dias do ano apenas 100 não têm céu nublado ou chuva e, por isso, o mês de setembro virou o preferido dos visitantes. Se a intenção é ver, ser visto e fazer compras, o calçadão da Grafton Street parece ser o endereço certo. Ir a Dublin e não conhecer a fábrica de sua bebida mais famosa não há cervejeiro que aguente. Um tour didático pela Guinness Storehouse custa 14,40 euros e termina com uma pint (568 mililitros) no Gravity Bar, que brinda os visitantes com visão panorâmica de 360º da cidade.
COMO CHEGAR
Saindo de São Paulo ou do Rio de Janeiro, o turista conta com diversos voos até a Irlanda, porém não existe uma viagem direta, sem escalas. Há várias opções de companhias aéreas e a maioria das escalas passa por Paris (Air France), Amsterdã (KLM), Frankfurt (Lufthansa) e Londres (British Airways), mas também é possível via Lisboa (TAP) ou Madri (Iberia).
Aeroporto de Dublin fica a aproximadamente 10 quilômetros do centro da cidade. O serviço de deslocamento é operado por cinco empresas de ônibus, com tarifas a partir de 6 euros. A opção é tomar um táxi.

COMO CIRCULAR
A capital da Irlanda conta com uma eficiente rede de transporte público. Há linhas de ônibus para toda parte, com pontos de parada bem sinalizados. O detalhe é que os passageiros pagam o equivalente ao trecho percorrido. Use moedas e informe-se sobre o ponto em que você pretende descer, assim poderá separar o montante exato. Isso é importante, pois, em vez do troco, você recebe um vale na quantia correspondente para ser usado numa próxima viagem. Além disso, há também o Dart (trem que liga o centro aos bairros periféricos, ou seja, residenciais; www.dublin.ie) e o Luas (metrô de superfície;www.luas.ie). É possível circular pelo país de ônibus (Bus Éireann; www.buseireann.ie), trem (Irish Rail;www.irishrail.ie) ou avião (Ryanair; www.ryanair.com).

INFORMAÇÕES AO VIAJANTE
  •  Inglês e irlandês (gaélico)
  •  Euro
  •  0800-890-4411
  •  Não é necessário tirar nenhum visto
  •  Nenhuma vacina é obrigatória
  • SHIS QL 12 conjunto 5 casa 9, Lago Sul, Brasília
    (61) 3248-8800
 Procure ir entre junho e setembro, meses mais quentes e com dias mais longos. De outubro a dezembro, o colorido do outono cria atraentes tonalidades nas alamedas e parques.
Samuel Beckett Bridge, Dublin, Irlanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário