domingo, 10 de novembro de 2013

8 coisas que foram criadas por mulheres que você nem imaginava

O que de mais incomum elas inventaram?Fonte da imagem:Reprodução/Business Week
Quando estamos utilizando algum objeto em nosso dia a dia, raramente pensamos nas possibilidades de como aquilo pode ter sido criado. Você simplesmente utiliza o equipamento sem questionar, achando a coisa mais normal do mundo.
E ainda que você pare para pensar nessas invenções, raramente a primeira alternativa de inventor que vem na sua cabeça é uma mulher.

1 - Sacola de papel

Em 1868, uma mulher chamada Margaret Knight criou uma máquina capaz de fabricar sacolas de papel com fundo quadrado. Pouco tempo depois, um homem tentou patentear a ideia de Margaret, mas perdeu uma batalha judicial para a mesma em 1871.
O cara queria roubar a ideia da moça!Fonte da imagem:Reprodução/Newton

2 - Fibra Kevlar

O material capaz de suportar o impacto de um tiro foi criado acidentalmente por Stephanie Kwolek, uma química da DuPont, em 1966. Ela trabalhava originalmente na criação de um material mais leve para pneus de carro quando descobriu a fibra Kevlar, que atualmente até reveste alguns smartphones.
A Motorola gamou na fibra de KwolekFonte da imagem:Reprodução/Gotta be Mobile

3 - Banco imobiliário

Esse game, de nome original “Monopoly”, foi criado por Elizabeth Magie em 1906, para ilustrar uma teoria econômica que rechaçava a desigualdade da distribuição de terras. Com o jogo, ela mostrava como uma pessoa acabava tendo muitas posses, enquanto outras precisavam se desdobrar para conseguir qualquer coisa. O nome do jogo dado por Elizabeth era “The Landlord’s Game”, que foi vendido para a Parker Brothers por apenas US$ 500, sem direito a royalties.
Jogo para deixar os gananciosos com culpa.Fonte da imagem:Divulgação/Parker Brothers

4 - Limpadores de para-brisa

Em 1903, Mary Anderson criou esse utensílio atualmente indispensável para carros. Na época da sua implantação, os motoristas acreditavam ser mais seguro dirigir em baixo de chuva e neve com o vidro embaçado do que operar o equipamento, que ainda não era motorizado como o atual. Essa versão veio apenas em 1917, criado por Charlotte Bridgwood.
Havia um mecanismo no interior do veículo para movimentar as hastes.Fonte da imagem:Reprodução/Wikipedia

5 - Corretivo

Escrever textos longos com caneta sempre implica em um problema: borrões. Hora ou outra você vai fazer um erro e, para limpar um pouco a página, você usa um corretivo certo? Em inglês ele é chamado de “liquid paper” ou papel líquido, tendo sido criado por Bette Nesmith Graham, uma secretária que usava sua fórmula caseira para apagar os erros que fazia na máquina de escrever com a qual trabalhava em 1958. Quando ela aperfeiçoou o produto, criou seu próprio negócio e, mais tarde, vendeu sua companhia para a Gillette em 1979 por US$ 47,5 mil.
Suas páginas de cadernos ficavam duras por causa desse potinhoFonte da imagem:Reprodução/Cadillac Forums

6 - Serra circular

Uma mulher chamada Tabitha Babbitt se meteu no mundo dos lenhadores e madeireiros para explicar que a serra reta que eles usavam para cortar tábuas e outras partes de madeira não eram a melhor opção para tal. Por conta disso, ela criou um protótipo de cerra circular que era girada por um mecanismo manual em 1813. Na época, sua ideia não foi vista como digna de uma patente e, por isso, ela não ganhou um centavo pela sua criação.
Uma grande ideia que não rendeu um centavo para a inventora.Fonte da imagem:Reprodução/Mercado Livre

7 - Vidro invisível

Lentes de câmeras, óculos, microscópios e outros equipamentos que precisam de um revestimento de vidro devem sua eficiência a Katharine Blodgett, a primeira mulher cientista da General Electric. Em 1935, Ela encontrou uma forma de transferir finas camadas de moléculas do vidro de um formato para outro evitando que o material realizasse distorções.
Praticamente qualquer eletrônico usa esse tipo de vidro ou uma versão mais evoluídaFonte da imagem:Divulgação/Google

8 - Programação

Em 1944 na Universidade de Harvard, nos EUA, Grace Hoppe e Howard Aiken desenvolveram o computador Mark I que ocupava uma sala inteira. Para esse dispositivo, Grace criou o primeiro sistema capaz de traduzir a linguagem escrita para código de programação, cunhando ainda os termos “bug” e “debugging”. Mais tarde ela fez parte da equipe que criou as primeiras linguagens de programação para computadores.
Um computador tão grande para traduzir linguagem escritaFonte da imagem:Reprodução/Columbia.edu

Nenhum comentário:

Postar um comentário