segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Caixa Preta : Nascidos para falar? Por que somos os únicos animais a dominar a linguagem?





Caixa Preta



Nascidos para falar? Por que somos os únicos animais a dominar a linguagem?
Salvo algumas exceções, o humano é um animal muito falante. Pesquisadores indicam que chegamos a usar até 370 milhões de palavras em um tempo médio de vida. No entanto, ninguém sabe exatamente o motivo de sermos a única espécie a ter um linguajar próprio.
Mas de onde tudo isso surgiu? A história da linguagem é um quebra-cabeças tão complexo que, ainda hoje, poucos arriscam dizer que ele já foi completamente resolvido. Segundo Simon Kirby, membro da maior unidade de pesquisas de evolução da linguagem do mundo, mesmo com muito investimento, ainda sabemos muito pouco sobre nossa própria história.

Os pesquisadores nem ao menos sabem quando começamos a falar. As pesquisas mais consideradas no meio acadêmico levam em conta datas entre 100.000 e 1,8 milhão de anos. Já se sabe, por exemplo, que todas as espécies do gênero Homo, como os Neandertais, contavam com meios de fala evoluídos. No entanto, os cientistas ainda não sabem se isso era utilizado ou exercitado de alguma forma.

A árvore genealógica da linguagem

Um grupo de pesquisas de Biologia Evolutiva da Universidade de Reading, no Reino Unido, está próxima de resultados mais precisos sobre as origens da linguagem humana. Eles traçaram os “rastros” da linguagem, criando uma espécie de árvore genealógica da fala, que mostra como chegamos até onde estamos. No entanto, algumas partes do quebra-cabeça ainda estão faltando.
Fonte da imagem: Reprodução/DARE
Nas pesquisas, eles descobriram fatos importantíssimos; por exemplo, há 20 mil anos os homens das cavernas já eram capazes de entender o significado de palavras simples, utilizando termos como “tu”, “ti” e “quem”.

Idiomas irmãos

Mark Pagel, do grupo de pesquisas da Universidade de Reading, acredita que palavras são transmitidas “de pai para filho”, assim como os genes.
Um bom exemplo disso é o latim, que é o ancestral em comum para idiomas como o português e o espanhol, que contam com centenas de palavras com significados e sons semelhantes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário