sábado, 13 de julho de 2013

Dose de fofura

gato-do-mato-animal-planet
Poli foi alimentado com mamadeira logo depois de nascer. ©Zoológico de São Paulo/Divulgação



Este adorável filhote de gato-do-mato (Leopardus tigrinus) se chama Poli e nasceu em 14 de janeiro deste ano no Zoológico de São Paulo. Diferentemente de sua mãe, que é negra devido a uma mutação genética chamada melanismo, Poli tem as típicas manchas da espécie.

Luíza, a mãe de Poli, rejeitou o filhote logo depois do nascimento, e os funcionários do Zoológico tiveram que alimentá-lo com uma mamadeira. Hoje com cinco meses, ele está crescendo saudável, o que significa uma vitória para esta espécie que é considerada volnerável .

gato-do-mato-2-animal-planet
O gato-do-mato tem o tamanho e o peso de um gato doméstico. ©Zoológico São Paulo Zoo/Divulgação

O gato-do-mato é um felino de tamanho pequeno e hábitos noturnos. Vive em diversas partes do mundo, como as florestas da Costa Rica, o sul do Brasil e algumas regiões da Argentina. Quando adulto, mede entre 40 e 50 centímetros e pesa no máximo três quilos. Apesar de ter o tamanho de um gato doméstico, é feroz. Outra característica que distingue esse felino são os olhos grandes e expressivos.O gato-do-mato é parente da jaguaritica e se alimenta de roedores e pássaros. Como os gatos comuns, eles ronronam .

gato-do-mato-3-animal-planet
Os gatos-do-mato encontram-se em situação de vulnerabilidade. ©Sao Paulo Zoo/Divulgação

Em estado selvagem, podem viver até onze anos, mas há registros de espécimes que viveram até os 17anos.

Como costuma acontecer com espécies de pelagem pintada, os gatos-do-mato foram muito perseguidos, e em alguns países eles tem uma proteção especial. Mas a caça não é o único perigo que esse felino enfrenta: a perda de seu habitat natural  em devido ao desmatamento; o coloca em uma situação altamente vulnerável pois suas populações costumam ser pequenas e isoladas.

Relatórios da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) revelam que o gato-do-mato está entre os felinos pequenos mais atacados e perseguidos.

 FONTE:http://animalplanet.discoverybrasil.uol.com.br

Baseado no texto de Victoria Bembibre

Nenhum comentário:

Postar um comentário